Criado para capacitar integrantes da equipe da Credicitrus a serem multiplicadores das atividades e regras de funcionamento da Ação Social Cooperada (ASC) em suas respectivas áreas de trabalho, o Treinamento TransformAção, realizado no dia 19 de setembro, em Bebedouro, SP, reuniu cerca de 75 colaboradores, além de membros do Conselho de Administração e da Diretoria Executiva da Cooperativa e integrantes do Conselho Gestor da ASC que representam a Credicitrus. Também participaram do evento convidados da Coopercitrus (Elza Maria Mônaco, superintendente de RH, Adilson da Silva, gerente do Departamento Jurídico, e Nayara Carolina Ribeiro Tavares Viana e Simone Passanezi de Almeida, que representam a cooperativa no Conselho Gestor da ASC), da Coperfam (Mario Cezila, engenheiro de alimentos responsável da cooperativa pela certificação FairTrade) e de entidades do terceiro setor.

IMG_6186

Os colaboradores que representarão a ASC nos postos de atendimento e nas diferentes áreas da Matriz receberam a denominação de “agentes transformadores”. Assistiram a palestras sobre o terceiro setor, o trabalho voluntário e as regras da ASC, conheceram casos de sucesso de entidades sociais e receberam um completo manual contendo todas as informações para que prestem esclarecimentos e deem orientações a dirigentes de instituições sociais, cooperados e colegas sobre o apoio financeiro concedido a entidades sociais. Cada um será, como resultado desse treinamento, o elemento de contato com as instituições de sua região e ainda poderá identificar e indicar para análise do Conselho Gestor organizações e pessoas físicas com potencial para se tornarem parceiras da ASC.

Programa abrangente

A programação do evento foi intensa, conforme se resume a seguir.

Na abertura, o coordenador do Conselho Gestor da ASC, Lauro Antonio Baruqui Pirolla, resumiu a história da ASC e salientou o papel fundamental desempenhado nessa iniciativa por Leopoldo Pinto Uchôa, fundador e principal executivo da Credicitrus desde sua fundação, além de vice-presidente e presidente da Coopercitrus, cargos que exerceu até 2008, quando faleceu.

IMG_6053

(Walmir Fernandes Segatto, Marcos Lourenço Santin, Maria Tereza de Souza Lima Uchôa e Rafael Albuquerque Braghiroli)

Na sequência, teve destaque um painel no qual o presidente e a vice-presidente do Conselho de Administração da Credicitrus, Marcos Lourenço Santin e Maria Tereza de Souza Lima Uchôa, e o diretor-presidente executivo da Cooperativa, Walmir Fernandes Segatto, foram entrevistados pelo gerente executivo do Instituto Oswaldo Ribeiro de Mendonça (IORM), Rafael Albuquerque Braghiroli, analisando em suas respostas temas como sustentabilidade e trabalho voluntário. Esse painel, com duração de uma hora, foi transmitido ao vivo pela Intranet da Cooperativa para todos os gestores das unidades e sede administrativa da Credicitrus.

As demais palestras foram as seguintes:

– os advogados Danilo Brandani Tiisel e Cláudio Ramos da Silva, membros da Comissão do Direito do Terceiro Setor da OAB-SP, explicaram o que é, como é constituído esse setor e o complexo cenário sócio-político em que se insere no Brasil, marcado por grande multiplicidade de leis, além de contar com programas de incentivo que muitas instituições desconhecem os benefícios e, por isso, deixam de colher;

Rafael Braghirolli, do IORM, apresentou o primeiro caso de sucesso, explicando como está sendo implantado em Guaíra, SP, com o apoio da ASC, o inovador projeto de “Cidade Educadora” e como está contribuindo para que o município assuma compromissos com a sustentabilidade e busque alcançar metas claramente definidas de desenvolvimento econômico e social;

Adalardo S. Martins, consultor da ASC, explicou como é o Programa de Parcerias lançado anualmente, estabelecendo os procedimentos que as instituições sociais devem seguir para obter apoio financeiro;

Máira Luana Santos Mattos, diretora da agência de comunicação Com5, apresentou os canais de comunicação da ASC, incluindo site na Internet, páginas no Facebook e no Instagram e canal no Youtube;

Daniel de Miranda Nogueira, que responde na Credicitrus pelo controle das operações da ASC e seu respectivo registro contábil, explicou as regras de avaliação de projetos e quais são as entidades elegíveis e não elegíveis à obtenção de apoio;

IMG_6152

(Rafael Carlos Ribeiro, do Departamento de RH da Credicitrus)

Rafael Carlos Ribeiro, do Departamento de RH da Credicitrus, abordou o voluntariado corporativo e os limites de atuação dos colaboradores que representarem a ASC, bem como dos que se dedicarem a trabalhos voluntários;

Allen Dupré, consultor da ASC, explicou como foi estruturado o novo programa “Parceiros para o Bem”, por meio do qual outras organizações e pessoas físicas, a exemplo do que já fez a Coperfam, poderão utilizar a assessoria do Conselho Gestor da ASC para canalizar recursos ao terceiro setor;

Mário Cezila, da Coperfam, manifestou a satisfação desta cooperativa com os bons resultados da parceria firmada com a ASC, que possibilitou o apoio financeiro a projetos de nove entidades sociais dos municípios paulistas de Araraquara, Bebedouro, Olímpia e São José do Rio Preto;

– o segundo caso de sucesso ficou a cargo de Levi Henrique Carrion, um dos fundadores da Associação Mariliense de Esportes Inclusivos (AMEI), que contou a história de dificuldades e superação da entidade e como tem formado atletas paralímpicos de alto nível, incluindo campeões brasileiros e mundiais;

IMG_6209

(atleta paralímpico Juliano Alves Pinto)

– o atleta paralímpico Juliano Alves Pinto, da AMEI, destaque nacional e internacional em corridas em cadeira de rodas (e que usou o exoesqueleto para dar um chute simbólico em uma bola, na abertura da Copa do Mundo de Futebol em 2014, no Rio de Janeiro), fez uma comovente palestra motivacional sob o título “Superando e vencendo todos os dias”;

– ao final, foi apresentado o terceiro caso de sucesso, com Max Lopes Wada e Rogério Fisher Duque, respectivamente fundador e presidente da Associação Missionária Maria Peregrina, contando a história da instituição e, em particular, o sucesso alcançado pela premiada Escola Maria Peregrina, cujo modelo educacional estimula a aprendizagem contínua por meio do método pedagógico baseado na singularidade e na pedagogia de projeto, dando liberdade a crianças e jovens, dos 6 aos 16 anos, para definir o que desejam estudar, fugindo dos padrões tradicionais de salas de aula e professores à frente de classes, mas com tutores orientando e apoiando os alunos em suas pesquisas.

 

Escrito por sicoobcredicitrus

1 comentário

  1. lpirollacredicitruscombr 1 de outubro de 2018 às 19:07

    Parabéns a todos os participantes e envolvidos. Pessoas passam, ações ficam!

    Responder

Deixe uma resposta