Os primeiros meses do ano já se passaram e você ainda não sabe como vai conseguir dinheiro para fazer aquela viagem com a família, para trocar de carro e ainda fazer uma especialização profissional? Tudo isso será possível se você fizer um bom planejamento financeiro!

Para alcançar suas metas e realizar seus sonhos, é necessário se preparar. A organização dos gastos é fundamental para determinar em quanto tempo cada um dos objetivos será atingido. Além disso, ter maior consciência das suas finanças ajuda a identificar as alternativas de captação de recursos mais viáveis e a reduzir o impacto dos imprevistos.

Se você pretende tirar do papel sua lista de resoluções de ano novo, mas não sabe por onde começar, este artigo foi feito para você! Veja como se organizar financeiramente para conquistar tudo aquilo que você quer, precisa e merece neste ano, aplicando estas 6 dicas!

1. Conheça suas dívidas

Quando se fala em dívidas, muitas pessoas pensam em boletos e prestações atrasadas, mas esse é apenas um dos quesitos. Tudo o que você tem a pagar é considerado dívida. Sendo assim, aquele equipamento que você comprou parcelado, o financiamento da sua casa e até as compras parceladas no cartão entram nessa conta.

É muito importante entender que todos eles são valores que precisarão ser pagos em algum momento, logo, eles são devidos. Quando existe uma consciência mais apurada a respeito disso, fica mais fácil perceber as limitações de gastos que poderão ser necessárias em determinados momentos.

Portanto, o primeiro passo em direção à realização dos seus sonhos é entender onde você se encontra neste momento. Mas, além das dívidas, é preciso também conhecer bem suas receitas — e é disso que trata a próxima dica.

2. Saiba exatamente o quanto ganha

Para as pessoas que possuem renda fixa, é bem mais fácil saber o quanto ganham. Porém, para quem é autônomo ou prestador de serviços, essa conta é um pouco mais difícil. Afinal, cada mês a quantidade de clientes pode mudar e não existe tanta previsibilidade.

Para contornar esses obstáculos, é fundamental ter um controle das receitas em um caderno ou planilha. Isso ajuda a manter um histórico, encontrar uma média de ganhos mensais e até a identificar algumas sazonalidades, como períodos em que a demanda costuma ser maior ou menor.

3. Reveja seus gastos

Essa, em geral, é a parte mais complicada. As despesas fixas são mais fáceis pois são claras e recorrentes. Estão entre eles as compras de supermercado, água, energia elétrica, aluguel. Entretanto, são os pequenos valores do cotidiano que acabam fugindo do controle e consumindo boa parte do dinheiro.

Então, reveja todas as compras realizadas ao longo dos últimos 3 meses e identifique quais são os principais vilões dos seus gastos. Os mais comuns são:

  • cafezinhos;
  • guloseimas (balas, doces, lanches desnecessários);
  • presentinhos para filhos e sobrinhos;
  • excessos no lazer (compra de coisas irrelevantes, motivadas pelo calor do momento);
  • roupas e calçados.

4. Envolva sua família no projeto financeiro

Depois de entender qual é seu cenário atual, o próximo passo é envolver toda a família em seu projeto financeiro. E isso pode ser feito em duas etapas. Confira!

Analise as necessidades de cada membro

Cada família tem uma composição específica e segue seus próprios padrões. Dessa forma, é necessário analisar os papéis e as necessidades de cada membro, a fim de definir estratégias mais adequadas a cada caso. Por exemplo, as crianças precisam ser sustentadas, os adultos precisam contribuir com os gastos em comum, e por aí em diante.

Determine responsabilidades

Definidas as necessidades e limitações de cada um, é hora de determinar as responsabilidades. Em uma família composta por um casal com crianças, os pais devem dividir os custos para sustentá-las. Por outro lado, uma casa com mais adultos, como filhos mais velhos, irmãos e agregados, requer uma abordagem diferenciada na distribuição das responsabilidades.

Ao planejar uma viagem ou a aquisição de um eletrodoméstico mais caro, como uma geladeira, por exemplo, o ideal é manter a mesma regra de divisão para evitar desgastes. As realizações individuais devem ser tratadas à parte. Cada um deve se responsabilizar por seus objetivos pessoais, buscando realizá-los sem causar problemas aos objetivos comuns da família e dos integrantes da casa.

5. Estabeleça metas

Enfim, chegamos às metas em si. Diferentemente dos objetivos, elas devem ter prazos e ser traduzidas em ações. A forma mais fácil é agrupá-las conforme o tempo hábil até realizá-las, como veremos a seguir.

Curto prazo

As metas de curto prazo são aquelas que devem ser cumpridas em, no máximo, 1 ano. Portanto, as metas para 2019 devem estar neste grupo. Para elas, é preciso ter atividades mais rápidas e simples, que gerem resultados mais imediatos. Se sua meta é fazer uma viagem até o final do ano, o planejamento deve começar agora, com pesquisa de preços e locais, melhores datas etc.

Médio prazo

As metas de médio prazo são aquelas a serem concluídas em um período entre 2 e 5 anos. Nelas estão questões como:

  • trocar de carro;
  • adquirir equipamentos novos para o trabalho;
  • montar o próprio negócio;
  • fazer uma pós-graduação ou especialização;
  • comprar ou trocar de casa.

Longo prazo

As metas de longo prazo são aquelas ligadas a um futuro um pouco mais distante. Elas podem ser trabalhadas aos poucos e costumam ser revistas, alteradas e até mesmo substituídas por outras. É um tipo de investimento que se faz para garantir certa segurança financeira para você e sua família. Os mais comuns são:

  • formação de patrimônio;
  • pagar os estudos dos filhos;
  • plano de aposentadoria.

6. Revise o planejamento periodicamente

O mundo evolui constantemente e isso impacta em nossas metas e capacidades. É preciso revisar as estratégias continuamente para adequá-las à realidade de cada época. Além disso, à medida em que os objetivos vão sendo alcançados, novos devem ser estabelecidos. Mantendo esse ciclo, as ações estarão sempre atualizadas e os impactos causados pelos imprevistos serão cada vez menores.

Seguindo todas essas dicas, o seu planejamento financeiro finalmente vai sair do papel e os seus sonhos começarão a se realizar. Basta se dedicar e ter o foco voltado para as ações estabelecidas, para ter os gastos organizados e um direcionamento melhor dos passos que você tem capacidade de dar de cada vez. Comece a definir seu futuro agora mesmo!

Gostou das dicas? Que tal receber conteúdos como este sobre gestão financeira? Assine nossa newsletter e receba as novidades diretamente em seu e-mail.

Escrito por sicoobcredicitrus

1 comentário

  1. Gostei muito das dicas

    Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *