Quando falamos em cooperativas de crédito, alguns termos são bastante claros, pois estão diretamente ligados com as atividades que ela exerce e com seus cooperados. Conhecer esses termos é fundamental para que possa identificar como eles estão ligados com as atividades da instituição e o impacto disso para o associado.

O capital social é um desses termos. Ele possui diversas concepções, até mesmo sociológicas, mas é essencial compreende-lo dentro desse contexto e como isso está relacionado com as práticas internas dos associados.

Então leia nosso artigo e descubra o que é capital social e como ele funciona, tirando suas dúvidas sobre o assunto!

O que é o capital social?

Vamos falar de forma simplificada então. Ele é o poder financeiro de um negócio, basicamente o montante que foi investido inicialmente pelos sócios. Sabe quando você escuta a frase “a empresa tem valor X”, boa parte dessa quantia está relacionada com o capital social e com sua boa administração.

É essencialmente o valor necessário para que seu negócio saia do papel, sendo o valor bruto de investimento inicial para abertura e manutenção do negócio, até que possa se sustentar sozinho.

Como funciona o capital social nas cooperativas de crédito?

Dentro das cooperativas de crédito, o capital social funciona como a principal fonte para a formação do patrimônio da instituição. Ele é formado pela integralização de quotas-partes dos associados, ou seja, pelo valor que eles investem ao aderirem a cooperativa.

O valor é utilizado, principalmente, para o suporte das atividades financeiras da cooperativa, permitindo que ela consiga ter sua autonomia financeira, viabilizando o seu funcionamento.

É utilizado também para a manutenção e promoção dos serviços básicos da cooperativa de crédito, que são prestados para os próprios cooperados. Por isso é fundamental que eles incentivem essa capitalização, afinal, é uma forma de investimento na empresa a qual pertencem.

Como o capital social funciona?

O conceito de capital social pode ser extensivo não só para as cooperativas, mas para qualquer instituição e funciona por meio de três eixos, como veremos a seguir.

Financeiro

Diz respeito ao capital reunido pelos acionistas ou empreendedores para criar e manter a empresa até que ela se estabilize e se solidifique no mercado. Assim, resume-se ao investimento inicial feito pelos proprietários para fazer o negócio começar a executar suas atividades e se manter em pé até conseguir uma carteira de clientes constante.

Ele pode ser modificado nas seguintes situações:

·        um sócio decide sair da companhia (redução de capital);

·        entrada de um novo sócio (aumento de capital);

·        aumento do capital investido por parte dos sócios presentes.

Limitação de responsabilidade

A limitação de responsabilidade foi criada como uma forma de limitar o ônus dos sócios, para evitar problemas financeiros para eles. Por exemplo, se uma empresa acumular dívidas e credores (caso seja uma organização Ltda.), será estabelecido que o limite das responsabilidades será o total do capital subscrito, na proporção de suas quotas.

Pareceu confuso novamente, não é mesmo? Mas tudo bem, vamos explicar. Vamos supor que você abra um negócio junto com outros dois colegas na área de tecnologia e cada um entrou com R$ 30 mil e você com R$ 35 mil. Normalmente o valor das quotas de organizações societárias é de R$ 1. Ou seja, você é sócio majoritário, com 35 mil quotas e os demais sócios minoritários, com 30 mil quotas.

Assim, em caso de lucratividade, você ganhará proporcionalmente, recebendo maior valor em comparação com seus sócios.

Qual a importância do capital social para as cooperativas?

Quanto maior esse valor, mais fortalecida será a cooperativa de crédito. Por isso, quando você fortalece o seu capital social dentro da instituição, ela também se fortalece e todos saem ganhando.

A fim de fazer com que todos ganhem, a Credicitus oferece o Cotas Plus. O cooperado pode investir, por exemplo, R$ 2.000 em contas de capital na cooperativa, de forma parcelada. O valor investido é convertido em limite de cheque especial.

O valor pode, também, servir como uma espécie de aposentadoria complementar, já que na Credicitus, os cooperados com mais de 65 anos e 10 de associação na cooperativa podem receber parte do capital acumulado, em parcelas mensais, por até 20 anos.

Saber o que é o capital social é fundamental para compreender a importância do seu valor de adesão ao entrar na cooperativa, vendo que esse valor é uma espécie de investimento para você, que retorna nas possibilidades de serviços que a instituição fornece a você.

Quer mais dicas essenciais para ter uma boa experiência participando de uma cooperativa de crédito? Assine nossa newsletter e receba nossos artigos diretamente em seu e-mail.

Escrito por sicoobcredicitrus

2 comentários

  1. Júnior da Silva Sarneiro 9 de junho de 2020 às 13:37

    Gostaria de saber quanto em % que nós associados recebemos, pois nosso dinheiro fica tipo emprestimo para a coperativa?

    Responder

    1. sicoobcredicitrus 9 de junho de 2020 às 19:21

      Junior, boa tarde!

      Em 2019 a remuneração do juros sobre o capital foi de aproximadamente 4,75%. A informação está disponível para consulta em nosso site, através do relatório anual – a página 41 – nota explicativa 19.2.

      O capital social é o ingrediente mais importante na receita de sucesso de uma cooperativa. É ele que dá ao cooperado a condição de coproprietário do empreendimento cooperativista e, ao mesmo tempo, promove a autonomia financeira da Cooperativa. É, também, por meio dele que o associado participa dos resultados da Cooperativa ao final de cada exercício.

      Link de acesso ao relatório: https://sicoobcredicitrus.com.br/wp-content/uploads/2020/03/Relatorio_2019.pdf

      Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *