Novos tempos implicam em novos modos de fazer as atividades padrão dos mais diferentes setores. Por exemplo, a indústria hoje conta com uma série de aparatos tecnológicos que garantem modernização, recolhimento de dados e automação durante as atividades industriais. O comércio conta com chatbots e automações de gestão para o controle de suas vendas e atendimento ao cliente.

Na agricultura também não seria diferente, não é mesmo? Atualmente é possível ter uma série de benefícios com a inserção de gadgets e ferramentas tecnológicas no campo: é a agricultura digital.

Você já ouviu esse termo? Sabe do que se trata? Então continue lendo e tire suas dúvidas sobre o assunto.

O que é agricultura digital

A agricultura digital é um conceito que envolve o conjunto de tecnologias destinadas a auxiliar o produtor rural em suas atividades cotidianas. Ela pode envolver, por exemplo, softwares de gestão de plantio, sensores nas lavouras e na terra para avaliar questões essenciais, drones, câmeras de controle, entre outras tecnologias importantes que promovem um maior controle das atividades no campo.

Também pode ser conhecida como Agricultura 4.0, em analogia com o termo da Indústria 4.0, que diz respeito à inserção de novas tecnologias nas atividades industriais, principalmente aquelas conectadas à rede. Outro termo bastante comum para definir esse conceito é “agricultura de precisão”.

Os sensores e tecnologias coletam e analisam dados sobre clima, solo, lavoura e equipamentos utilizados, permitindo que o gestor possa entender as variações ocorridas no ambiente interno e encontrar as melhores soluções para um plantio saudável, que possa render colheitas satisfatórias.

Com o advento da Internet das Coisas (Internet of Things ou, ainda IoT), a agricultura digital se fortaleceu ainda mais e conta com diversas tecnologias que podem auxiliar você a melhorar a atividade no campo. A junção de sensores, tecnologias, conectividade, inteligência artificial, big data e machine learning promovem um trabalho mais inteligente e preciso no campo.

Por isso, os agricultores que ainda não estiverem estudando como inserir esse tipo de tecnologia em suas propriedades poderão enfrentar problemas futuros, principalmente com perdas de diferenciais competitivos.

As principais vantagens da agricultura digital

A transformação digital já é uma certeza em diversas áreas, como indústria e prestação de serviços. Na agricultura ela tem tomado força e traz uma série de vantagens para quem passa a aderir a ela internamente, tais como:

  • redução de custos, já que o produtor consegue aproveitar as melhores brechas e oportunidades, conseguindo extrair o máximo de produtividade com o menor custo possível;
  • redução de erros, já que os sensores e indicadores mostram qual é o melhor momento para cada prática e consegue reduzir as chances de eventuais perdas de plantio por não ter identificado situações adversas;
  • consequente aumento da eficiência, com a redução de erros;
  • maior precisão, já que os sensores realizam cálculos mais rigorosos acerca dos produtos que precisam ser utilizados, evitando desperdícios e custos adicionais;

As principais práticas existentes para a agricultura digital

Se você está começando a cogitar a utilizar a agricultura digital, é necessário conhecer mais sobre as práticas e equipamentos existentes para implementar em seu negócio. Continue lendo e saiba quais são as principais.

GPS

Por meio do sistema de georreferenciamento, aplicado a outros equipamentos, você pode programar suas máquinas com piloto automático para fazerem determinada rota no campo, de forma a minimizar o amassamento do plantio e a compactação do solo.

Sensoriamento

Por meio de aplicação de sensores, o agricultor consegue identificar questões importantes para um plantio mais eficiente. Por exemplo, se determinado plantio necessita de um solo mais úmido, os sensores poderão apontar quando as taxas chegam a índices perigosos, sendo necessário fazer a irrigação do local.

O mesmo pode ser dito sobre a aplicação de herbicidas, com o objetivo de matar ervas daninhas. Por meio de um sensor específico, podem ser encontrados os locais nos quais há a presença da planta, evitando que você desperdice produto aplicando-o em toda a área do plantio, reduzindo o impacto do uso em larga escala em sua propriedade.

Internet das Coisas

A Internet das Coisas é uma grande revolução nos mais diferentes setores e na agricultura não é diferente. Por meio dela, é possível que sensores conectados à rede enviem dados em tempo real para um sistema, permitindo que o gestor identifique problemas a serem resolvidos antes que eles se tornem um prejuízo para a empresa.

Por exemplo, é possível verificar o índice de produtividade e gasto de combustível de um trator. Caso ele comece a apresentar uma redução nos seus índices padrão, pode ser um sinal de que é hora de o equipamento passar por uma manutenção preventiva.

Big Data

Sensores podem enviar dados constantes para um sistema específico, que realizará a depuração e análise dos dados, de forma a prever cenários futuros em relação ao plantio. Por exemplo, indicadores dessa natureza podem prever um período de seca, permitindo ao agricultor se planejar para contornar a situação e não ter perdas significativas de plantio.

Drones

Principalmente para grandes propriedades, os drones podem ser bastante úteis para o controle de imagens da propriedade, verificando se há irregularidades, atividades suspeitas ou quaisquer outros problemas e de forma imediata e pontual. Além disso, você pode comparar as imagens obtidas ao longo do tempo pelos drones, para avaliação do plantio e, até mesmo, fazer pulverização localizada.

Os principais desafios encontrados

Talvez um dos principais desafios encontrados para a agricultura digital seja conseguir investir nos equipamentos para sua implementação. Afinal, estamos falando de uma série de recursos tecnológicos que serão implementados em toda a propriedade e isso custa dinheiro.

Porém, uma das vantagens desse setor é a facilidade de crédito destinada ao agronegócio. Com o objetivo de facilitar a modernização do campo, as instituições financeiras, tanto tradicionais quanto inovadoras (como as cooperativas de crédito), fornecem linhas específicas para esse setor.

E, quando falamos em instituições inovadoras, também pode-se acrescentar nesse ponto os juros menores promovidos por elas no financiamento, que auxiliarão você a conseguir realizar a implementação e fazer sua propriedade crescer adequadamente.

Quer mais dicas interessantes que poderão auxiliar no crescimento do seu agronegócio? Curta nossa página no Facebook e veja-as diretamente em seu feed de notícias.

Escrito por sicoobcredicitrus

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *