O Dia Nacional do Cooperativismo de Crédito, comemorado em 28 de dezembro, foi instituído por iniciativa do deputado federal gaúcho Luís Carlos Heinze, que, em 2007, apresentou projeto de lei nesse sentido. Justificou que nesse dia, em 1902, foi fundada a primeira cooperativa de crédito brasileira, na localidade de Linha Imperial, no município de Nova Petrópolis, RS. Em sua justificação, ainda afirmou: “…o cooperativismo gera não só oportunidades de renda aos seus beneficiários diretos, mas também de crescimento para as comunidades nas quais se insere, sempre pautado pelos valores éticos da honestidade, transparência, responsabilidade social e preocupação com o semelhante”. A data comemorativa foi oficializada em 2012, pela Lei no 12.620.

O presidente do Conselho de Administração da Credicitrus, Marcos Lourenço Santin, considera essa celebração apropriada. Acentua que o cooperativismo de crédito precisa ser mais conhecido, para que se torne reconhecido como o modelo de negócios mais avançado para o atendimento das necessidades financeiras de pessoas físicas e jurídicas. Afirmou: “Sua força ficou amplamente demonstrada neste ano de 2020, marcado por desafios inéditos, como o distanciamento social imposto pela pandemia da Covid-19, a retração da economia mundial e a mais baixa taxa Selic da história, comprimindo as margens com as quais trabalhamos”.

Por sua vez, o CEO da Credicitrus, Walmir Fernandes Segatto, acrescentou: “As cooperativas que tiveram melhor desempenho neste ano foram as que, assim como tem feito a Credicitrus, investiram no fortalecimento da estrutura de governança, na capacitação de pessoas e em tecnologia com foco na elevação da eficiência e da segurança das operações e na aceleração da transformação digital”.

Segmento com mais cooperados

O ramo de crédito tem forte representação no cooperativismo brasileiro. De acordo com o Anuário da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) relativo a 2020, são 827 cooperativas, com quase 11 milhões de associados (todos os outros ramos totalizam pouco menos de 5 milhões de cooperados), empregando mais de 70 mil colaboradores. Desse total de cooperados, as pessoas jurídicas somam 1,5 milhão.

Porém, sua participação no Sistema Financeiro Nacional (SFN), embora venha crescendo, ainda é pequena. Segundo o “Panorama do Sistema Nacional de Crédito Cooperativo (data-base: dezembro/2019)”, publicado pelo Banco Central, as cooperativas de crédito, em seu conjunto, respondem por parcelas modestas do SFN: 3,0% do ativo total, 4,6% da carteira de crédito; e 6,0% dos depósitos. Embora não haja dados finais relativos a 2020, esses percentuais devem ter aumentado neste ano. A considerada ideal pelo Banco Central é de que as cooperativas financeiras respondam por 20% dos negócios do SFN até o final de 2022.

Em termos globais, o Conselho Mundial de Cooperativas de Crédito (WOCCU, na sigla em inglês) estima que há mais de 85 mil organizações desse segmento espalhadas por mais de cem países em todos os continentes, congregando um total de 274 milhões de cooperados.

Escrito por sicoobcredicitrus

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *