A transformação tecnológica, que ganhou velocidade desde o início de 2020, em razão da pandemia da Covid-19, tem proporcionado grandes facilidades a todos. Os avanços foram notáveis principalmente nos serviços online, mas isso abriu caminho para a ação de criminosos. Portanto, é preciso estar atento para evitar golpes e fraudes virtuais.

Nesse sentido, a área de Segurança da Informação e Governança de TI da Credicitrus, elaborou uma série de orientações para prevenir ações dos chamados cybercriminosos. Vale a pena conhecer e compartilhar essas dicas com parentes e amigos. Afinal, a tecnologia facilita nosso dia a dia, mas é preciso utilizá-la com segurança e bom senso, garantindo nossa proteção.

Dicas de prevenção

Para prevenir a ocorrência de golpes virtuais, mantenha atenção permanente às ligações e às mensagens que você recebe em seu smartphone, bem como aos e-mails em sua caixa de entrada. Os cuidados recomendados são simples, mas muito eficazes:

  • Não acesse e-mails suspeitos;
  • Não clique em links desconhecidos;
  • Não abra anexos desconhecidos;
  • Não forneça informações em sites não confiáveis;
  • Se receber uma mensagem com uma oferta aparentemente maliciosa, não responda e, por segurança, bloqueie o número e o denuncie (esse é um recurso disponível no próprio WhatsApp);
  • Crie senhas fortes e evite combinações fáceis, como por exemplo números sequenciais ou data de aniversário;
  • Nunca salve suas senhas no próprio smartphone ou computador pessoal. Procure memorizá-las e as deixe anotadas de forma codificada e não identificadas como senhas, substituindo números por letras, fazendo inversões etc.;
  • Ao efetuar uma compra virtual, avalie se o site ou a plataforma é confiável. Em caso de dúvida, consulte fontes como o Reclame Aqui e o ProconSP;
  • Habilite a autenticação multifatorial em aplicações e desbloqueio de aplicativos por meio de biometria, se esse recurso estiver disponível;
  • Habilite o envio de notificações de seu aplicativo bancário para que cada compra efetuada seja automaticamente comunicada a você; se não reconhecer a compra, isso permitirá que você peça seu imediato cancelamento;
  • Informe a Cooperativa e as demais instituições financeiras com as quais se relacionar sobre movimentações suspeitas em suas contas;
  • Mantenha seus dispositivos e aplicativos sempre atualizados;

Conheça os golpes virtuais mais frequentes

Segundo a Serasa Experian, em 2021, foram registradas 4,1 milhões de movimentações suspeitas no Brasil, correspondendo a golpes ou tentativas de golpes virtuais nos segmentos de instituições financeiras, cartões, serviços, varejo e telefonia. Em sua quase totalidade, essas ações criminosas foram praticadas por WhatsApp, SMS e internet.

Por seu lado, a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), divulgou uma matéria, informando que o percentual de pessoas vítimas de golpes ou tentativas de golpes virtuais vem aumentando. Um estudo da entidade, realizado em maio e junho de 2022, revelou que o golpe virtual mais comum continua sendo o da clonagem de cartão, mas também houve crescimento nos golpes pelo WhatsApp.

Os golpes virtuais frequentemente requerem a participação da vítima, pois mexem com seu lado emocional, fazendo-a crer que obterá uma vantagem ou se livrará de um prejuízo. Os mais comuns são explicados a seguir.

Golpe virtual da regularização de dados

O criminoso, fingindo ser funcionário de uma instituição financeira, entra em contato com a vítima por WhatsApp, SMS ou e-mail, solicitando que confirme alguns dados cadastrais para que sua conta não seja bloqueada. Com isso, consegue dados pessoais para operações fraudulentas. Esse golpe também é aplicado com a utilização de websites falsos.

Golpe virtual da confirmação de compra

O criminoso, dizendo ser funcionário de um banco, uma financeira ou uma administradora de cartões, liga para a vítima, informando que foi feita uma compra em seu nome, com seu cartão, e pergunta se confirma a transação. Esse tipo de abordagem também é feito pelo WhatsApp ou por e-mail. Para garantir que a compra será cancelada e o valor não será debitado em sua fatura, a vítima acaba fornecendo vários dados pessoais.

Golpes virtuais de prêmios e promoções

“Você acaba de ganhar 120.000 milhas em seu programa de Fidelidade X para viajar a qualquer parte do mundo”. Mensagens como essa raramente são verdadeiras e, normalmente, são acompanhas de links para sites maliciosos, que buscam obter dados pessoais ou até pedem um pagamento para desbloqueio de valores ou outras vantagens.

Golpe virtual das “ofertas imperdíveis”

Produtos de alta qualidade a preços muito inferiores aos de mercado, com pouquíssimas unidades em estoque, são oportunidades raras que não podem ser desperdiçadas. É justamente essa reação que o criminoso procura despertar em suas vítimas que, normalmente, devem efetuar o pagamento com PIX para obter vantagens adicionais como frete sem custo. Normalmente, essas ofertas são apoiadas por publicidade, com fotos e vídeos atraentes, veiculada em websites e nas transições entre games jogados em smartphones.

Golpes virtuais relacionados a recebimento de valores

A vítima recebe uma mensagem, que a direciona a uma página falsa de um site oficial, informando que tem um saldo disponível para saque em sua conta do FGTS, por exemplo. Para que o valor seja desbloqueado, são pedidos vários dados, inclusive conta corrente para a qual esse saldo deve ser transferido. Golpes parecidos são aplicados em aposentados e pensionistas, visando à contratação de empréstimos consignados.

Golpe virtual do emprego com altos ganhos

Desde o ano passado, usuários do WhatsApp no mundo todo têm recebido uma mensagem falsa, supostamente de uma grande multinacional de comércio eletrônico, oferecendo emprego em tempo parcial com ganho diário elevado. Ao final, um link direciona a outra página ou a um atendente, que confirma a oferta e explica que, para ser admitido, o interessado deve fazer um curso, que tem um custo a ser pago no ato da inscrição. O prejuízo para a vítima é duplo: além de perder o valor investido no curso que não existe, fornece uma série de dados pessoais, com os quais os criminosos podem fazer transações fraudulentas.

Golpe virtual da conta com número alterado e pedido de PIX

Outro golpe praticado pelo WhatsApp: o criminoso, utilizando a foto de uma pessoa inscrita no aplicativo, se faz passar por ele ou ela e envia mensagens para nomes de sua lista de contatos. Em geral, emprega um tom de intimidade: “Oi Fulano, tudo bem? Este é meu novo número de telefone”. Em seguida, diz que precisa de um depósito de emergência, afirmando, por exemplo: “Estou em viagem e quebrou a tela de meu celular. Está sendo trocada, mas estou sem dinheiro aqui para pagar o conserto. Você pode fazer um PIX para a conta do técnico? São só R$ 200,00. Assim que eu voltar para casa faço um PIX de volta para sua conta”.

Gostou das nossas dicas? Então, compartilhe com a sua rede de contatos!

Escrito por bzanuto

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.