Muitas pessoas, ao pesquisarem sobre a possibilidade de fazer parte de uma cooperativa de crédito, encontram termos que não são tão comuns ou que possuem significados bem específicos dentro da área. Um dos que normalmente aparece, nessas situações, é a “livre admissão”.

O que isso significa? Quais são as implicações da livre admissão nas cooperativas de crédito? Como isso impacta a pessoa que está em busca de uma alternativa aos bancos tradicionais? Muitas dúvidas, não é mesmo?

Para sanar todas elas, apresentaremos esse conceito e como funciona a livre admissão nas cooperativas de crédito. Continue lendo e tire suas dúvidas sobre o assunto.

O que é a livre admissão na cooperativa?

A livre admissão em cooperativas de crédito diz respeito à possibilidade de qualquer membro da sociedade — independentemente da sua classe profissional, vínculo empregatício ou poder econômico, bem como se é pessoa física ou jurídica — se associar e se tornar um cooperado da instituição.

Assim, quem quiser adentrar, desde que cumpra os pré-requisitos necessários, pode participar da cooperativa, sem maiores problemas.

Quais as condições para a constituição de uma cooperativa de livre admissão?

As condições para o estabelecimento de cooperativas de crédito de livre admissão estão dispostas na Resolução nº 3.106 do Conselho Monetário Nacional (CMN), feita por meio de proposta do Banco Central do Brasil (BC). A partir desse documento, tornou-se possível estender os benefícios societários e operacionais para toda a comunidade, tornando as cooperativas de crédito unidades de livre associação.

Essa resolução foi extremamente positiva, pois, a partir dela, tornou-se possível estender os benefícios dos serviços financeiros exercidos pelas cooperativas de crédito para o público em geral.

Além disso, tornou-se bastante positivo até mesmo para as próprias cooperativas, que passaram a ver os riscos de problemas específicos da classe minimizados pela extensão do serviço para todo o público. Quer ver um exemplo de como isso representava um risco?

Pense em uma cooperativa formada por profissionais da construção civil. No biênio de crise (2015-2016), esse foi um dos setores que mais sofreu, principalmente diante dos escândalos de corrupção das principais construtoras do país. Com isso, as movimentações financeiras diminuíram e a solicitação de linhas de crédito por parte dessas pessoas aumentaram, algo que gera desequilíbrio para uma instituição financeira.

Sem a admissão de pessoas de outras áreas, os cooperados ficam reféns do mercado para reestruturarem a cooperativa. Já com a possibilidade de terem membros de áreas mais diversificadas, há um equilíbrio maior das finanças, por meio das movimentações financeiras de investimento e depósito realizado por esses outros membros. Ou seja, todos saem ganhando.

Outro benefício é o papel social que as cooperativas exercem, de modo geral, saindo da esfera de um único setor ou classe trabalhadora e podendo se estender para toda a sociedade. Se antes os cooperados trabalhavam para fortalecer sua área de atuação por meio da cooperativa, agora isso é possível para todos.

Seguindo o exemplo que demos anteriormente, uma cooperativa desse nicho faria com que apenas a construção civil crescesse. Com a livre admissão, esses benefícios se tornam extensíveis a uma classe maior de pessoas.

Isso auxilia, principalmente, comunidades menores, a partir do fortalecimento de áreas que precisam de maiores investimentos nessas regiões. Com isso, torna-se possível potencializar o desenvolvimento financeiro da região e gerar qualidade de vida e sucesso para os moradores da região.

Essa mudança auxiliou tanto as cooperativas de crédito que possibilitou seu crescimento do cooperativismo ao longo dos anos. Por exemplo, entre 2003 e 2017, o número de cooperados passou de 1,9 milhão para 9,8 milhões de membros, mostrando que a livre admissão permitiu um fortalecimento considerável das cooperativas.

Quais os benefícios que associar-se a uma cooperativa de crédito traz para sua vida?

Associar-se a uma cooperativa de crédito pode trazer uma série de benefícios para o cooperado que opta por esse tipo de instituição financeira, tais como:

Taxas de juros menores

As taxas de juros são mais baixas do que a dos bancos tradicionais, principalmente por ser uma instituição que não visa lucro e, portanto, não precisa gerar juros abusivos para enriquecer seus donos. Além disso, como o associado também é dono do negócio, é natural que os valores sejam facilitados para ele.

Melhor atendimento

O atendimento para os cooperados é diferenciado, o que garante maior satisfação e maior precisão para resolução de problemas. Além disso, quantas vezes você não se sentiu insatisfeito com o tempo de espera em bancos, para, ainda por cima, encontrar funcionários mal-humorados e que não resolviam seus problemas? A partir do momento em que você é um dos donos da cooperativa, seu tratamento é equivalente a esse posto, independentemente da sua renda mensal ou se é pessoa física ou jurídica.

Distribuição das sobras

Como a cooperativa de crédito não visa lucros, parte das sobras financeiras são distribuídas entre os cooperados, após a assembleia anual.

Neste conteúdo, você aprendeu o que é livre admissão e compreendeu como isso funciona dentro das cooperativas de crédito. Quer receber mais artigos, dicas e notícias sobre o tema? Assine nossa newsletter e enviaremos os conteúdos diretamente para seu e-mail!

Escrito por sicoobcredicitrus

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *