O que é uma carteira de investimentos e como montar a sua?

Investir no mercado financeiro é uma excelente maneira de melhorar sua qualidade de vida e desenvolver uma fonte de renda passiva. Entretanto, é importante entender como montar sua carteira de investimentos de uma maneira inteligente e capaz de produzir uma boa rentabilidade no longo prazo.

Para que suas escolhas sejam corretas, é importante entender alguns aspectos sobre o seu perfil, objetivos e o tempo pretendido de resgate para cada aplicação. Ao fazer esse planejamento, você consegue escolher investimentos mais alinhados com suas metas e obtém rendimentos mais altos, com menos riscos.

Se você quer saber como montar uma carteira de investimentos de maneira correta, continue a leitura e confira nossas recomendações!

O que é uma carteira de investimentos?

Uma carteira de investimentos é um conjunto de ativos que são escolhidos para pessoa física ou jurídica, com base nos seus objetivos de investimentos. Quanto maior a participação de um ativo (investimento) em sua carteira, maior será a influência que ele exerce sobre os rendimentos. Assim, é possível escolher entre ações, títulos públicos, CDBs, RDCs, LCAs, LCIs e demais opções que o mercado financeiro disponibiliza.

Essa carteira pode ser montada conforme diversos tipos de objetivos e perfis de investidor. O mais importante na criação de uma boa carteira é a capacidade de diversificar para diminuir o risco de suas operações. Isso significa que cada ativo da carteira deve apresentar um grau de risco e retorno diferente.

Quais são as vantagens de uma boa carteira de investimentos?

Entender como montar uma carteira de investimentos pode trazer diversas vantagens para você. Contando com a ajuda de profissionais e tendo um melhor entendimento do mercado financeiro, você pode conquistar bons resultados. Confira a seguir os principais benefícios de uma boa carteira de investimentos!

Aumento da rentabilidade

O primeiro trunfo de uma boa carteira de investimentos com bons ativos é a rentabilidade. Ao fazer escolhas inteligentes dos títulos que vai incluir em seu portfólio, você consegue um bom retorno.

Por exemplo, é possível combinar renda fixa com renda variável a fim de usufruir dos pontos fortes de cada uma das categorias. Assim, você consegue aumentar a rentabilidade e diminuir os riscos.

Redução de riscos

Falando em reduzir riscos, dependendo do seu perfil de investidor, é possível que você não queira arriscar muito na hora de fazer os aportes. Isso pode acabar afetando a rentabilidade do seu portfólio.

Porém, ao ter um entendimento mais amplo do mercado e contar com o auxílio de especialistas que conhecem bastante sobre o assunto, é possível ter retornos satisfatórios com um baixo nível de riscos.

Otimização da diversificação

Esse é um dos conceitos mais importantes para quem está entrando no mercado financeiro. Diversificar a carteira é fundamental para conseguir aumentar o seu patrimônio. Por meio da diversificação, é possível reduzir riscos e aumentar os retornos dos seus investimentos.

Por exemplo, quando você tem uma boa carteira de ativos, pode aliar o investimento com maior grau de segurança e menor retorno a outros que são um pouco mais arriscados e com maior rendimento.

Como montar uma carteira de investimentos?

Agora que você conhece as vantagens de ter uma carteira de investimento bem estruturada, que tal ficar por dentro de algumas dicas que podem ajudar você nessa etapa?

Para isso, apresentamos abaixo algumas boas práticas e conceitos importantes. Vale a pena conferir!

Defina seu perfil de investidor

O primeiro passo para montar sua carteira de investimento é entender qual é seu perfil de investidor. Há três classes nas quais você pode estar: conservador, moderado ou arrojado.

Perfil conservador

Os investidores com perfil conservador não gostam de correr muito risco e, desse modo, vão preferir ativos que tenham menor grau de risco e, consequentemente, oferecem menos retorno. Com isso, a carteira de investimentos desses investidores, em geral, conta com muitos ativos de renda fixa.

Perfil moderado

Os indivíduos de perfil moderado são aqueles que até aceitam um pouco de risco em troca de uma rentabilidade maior. Porém, como ainda não dispõem de muito conhecimento de mercado, preferem não se expor tanto. Desse modo, pessoas com esse perfil normalmente combinam ativos de renda fixa e variável.

Perfil arrojado

Os investidores com perfil arrojado geralmente já contam com grande experiência no mundo das finanças e, com isso, conseguem encontrar ativos que oferecem boa rentabilidade. Aceitam maior nível de risco devido ao conhecimento já adquirido com o passar do tempo.

Tenha objetivos claros

Outra dica importante para fazer seus aportes é entender quais são seus objetivos e em qual prazo você deseja atingi-los. Por exemplo, se você busca realizar investimentos que permitam rentabilizar o seu patrimônio e conquistar bons resultados no longo prazo, um comportamento mais conservador, com ativos que apresentam menor grau de risco, é interessante.

Agora, se você quer dinheiro de forma rápida, em um tempo mais curto, será preciso investir em ativos que apresentam maior risco e ter um comportamento mais arrojado em seus aportes.

Portanto, separe um dia e coloque no papel todos os seus objetivos e em qual prazo deseja alcançar cada um deles. Assim, é possível alocar seu dinheiro de forma estratégica a fim de atingir os seus planos. Além disso, vale contar com a ajuda de profissionais especializados.

Adéque a carteira ao seu perfil

Após entender o seu perfil e quais são seus objetivos, é hora de adequar sua carteira a eles. Por exemplo, os investimentos sugeridos aos indivíduos que têm aversão ao risco, ou seja, que são conservadores, são em sua maioria de renda fixa.

Nesse sentido, é aconselhável aportar recursos em um Certificado de Depósito Bancário (CDB), Recibo de Depósito Cooperativo (RDC), Tesouro Selic, Letras de Crédito Imobiliário ou do Agronegócio (LCI e LCA) e outras opções com baixo grau de risco. Ainda, vale verificar quais ativos contam com proteção do Fundo Garantidor de Crédito (FGC) ou do Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito (FGCoop), já que isso aumenta sua segurança.

Agora, se você aceitar correr um pouco mais de risco, há alternativas que podem oferecer maior rentabilidade, como ações, Fundos Imobiliários e outros. Dessa forma, compreenda seu perfil e invista de acordo com ele.

Faça uma reserva de emergência

Outra dica muito importante para quem está iniciando no mundo de investimentos é criar uma reserva de emergência. Imprevistos acontecem e, por isso, é essencial ter uma boa preparação para superá-los e ter tranquilidade em vários momentos da vida.

Por exemplo, em uma situação extrema, como uma demissão, sua receita vai cair muito e, com isso, fica difícil manter as contas em dia. Ao constituir uma reserva financeira, é possível ganhar tempo para colocar tudo em ordem e voltar a ter uma entrada recorrente de dinheiro.

Com o objetivo de estabelecer sua reserva, recomendamos que você guarde o valor equivalente a um período de 6 e 12 meses dos seus custos mensais em ativos que você pode resgatar a qualquer momento. Por exemplo, se você tem despesas de R$ 3 mil por mês, deve colocar nesse fundo um valor total de R$ 18 mil a R$ 36 mil. Com isso, você ganha tranquilidade para lidar com situações adversas.

Aposte na diversificação

Como mencionado, a diversificação é um dos passos básicos para fazer seus aportes. Por meio dela, é possível aumentar a rentabilidade dos seus investimentos ao passo que reduz o grau de risco.

Por exemplo, suponha que você decida não aderir a esse passo e coloque todo o seu dinheiro em um único ativo. Com o passar do tempo, esse ativo pode desvalorizar, levando a uma perda financeira.

Ao fazer a diversificação, é mais fácil evitar que situações como essa aconteçam. Além disso, há muitas opções para você investir no mercado financeiro. Desse modo, fazer a diversificação se torna mais simples e pode gerar bons resultados.

Conte com ajuda de especialistas

Caso você esteja começando agora no mercado financeiro, contar com a ajuda de profissionais especializados é uma boa opção. Como já trabalham há muito tempo nesse ramo, podem ajudar você a encontrar alternativas interessantes para o seu perfil.

Além disso, é possível pegar dicas para aprofundar seus conhecimentos e, com isso, continuar fazendo boas escolhas. Assim, não deixe de procurar quem pode dar uma consultoria de qualidade sobre o assunto. Nas instituições financeiras, existem vários agentes capacitados para auxiliar você nessa jornada.

Use uma plataforma de confiança

Ter boas ferramentas disponíveis é fundamental para qualquer atividade que você for realizar; e no mercado financeiro isso não é diferente. Assim, para você fazer os seus aportes e acompanhar as movimentações das suas aplicações, é importante contar com uma plataforma de qualidade.

Desse modo, você consegue verificar a cotação de um determinado ativo, fazer ordens de compra e de venda, além de ter a possibilidade de acompanhar a rentabilidade que seu portfólio gerou em um determinado período. Portanto, vale procurar por empresas que ofereçam uma ferramenta de qualidade para ter acesso a todas essas informações.

Entendeu como montar uma carteira de investimentos e conseguir ter bons resultados no mercado financeiro? Ao seguir nossas dicas, você consegue aumentar seu patrimônio e ter mais tranquilidade e segurança na sua vida financeira. Não deixe de colocá-las em prática!

O nosso artigo foi útil para você? Ficou com alguma dúvida sobre o assunto? Compartilhe a sua opinião e as perguntas que tiver nos comentários!

Assista a playlist Onde Investir no Momento Atual, no nosso Youtube:

>>> Leia também:
O que é liquidez e como afeta os seus investimentos de forma geral?
Perfil de investidor: conheça os 3 e saiba como definir o seu
Renda fixa, a escolha do momento
Você sabe o que é RDC? Descubra quais as suas vantagens
LCA e LCI: o que saber sobre esses investimentos

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: